O Desenho na Obra se Anna Bella Geiger

Exposição inédita de Anna Bella Geiger, reunindo desenhos a lápis, carvão, pastel e nanquim, além de desenhos inseridos em cadernos, objetos e vídeos produzidos desde a década de 50 aos dias de hoje.

Em momentos relevantes da arte contemporânea de nosso país é marcante a presença de Anna Bella Geiger. Na superação dos postulados informais dos anos 1950, na construção figurativa com a sua "fase visceral" dos anos 1960, nos movimentos experimentais da década de 1970, no seu retorno à uma certa pintura nos anos 1980, e na sua obra atual – Anna Bella mostrou-se sempre uma artista autêntica.

Em mais de 50 anos de carreira, Anna Bella participou de inúmeras mostras internacionais em museus, galerias e bienais. Obteve vários prêmios internacionais, como da Casa de Las Américas (Havana), da 1er Bienal de Dibujo de Buenos Aires, da Bienal de Pintura de Cuenca e o Prêmio da Crítica (ABCA) por sua trajetória artística. Suas obras fazem parte de várias coleções particulares e acervos de museus como MoMA (NY), Fogg Collection (Harvard), Getty Foundation (Los Angeles), Centre Georges Pompidou (Paris), Victoria & Albert Museum (Londres), MACBA (Barcelona), Museu Reina Sofia (Madri), o CGAC (Santiago de Compostela), Museu de Arte Contemporânea (Niterói), MAM (Rio de Janeiro e, MASP (São Paulo), entre outros.

A partir de 2008 começa a trabalhar com a produtora carioca Zucca Produções, sob a direção de Julio Augusto Zucca, com quem realiza diversos trabalhos. Entre estes projetos, destacam-se:

•Fotografia Além da Fotografia, reunindo obras que utilizam a fotografia como elemento essencial da criação (Caixa Cultural, 2009/2010);
•Um projeto de pesquisa com a edição de um catálogo que reuniu todas das obras da artista até 2009;
•Anna Bella Geiger Vídeos, reunindo seus trabalhos em vídeo, como uma das pioneiras da videoarte no Brasil (Oi Futuro, 2009);
•Circa MMXI – exposição retrospectiva (SESC, 2011 e Centro Cultural Correios, 2012/2013);
•Gavetas de Memórias, com exposição inédita com os trabalhos da artista em gavetas antigas de ferro (Prefeitura do Rio de Janeiro, 2015 e Caixa Cultural, 2016);

Dona de uma obra plural e multidisciplinar, Anna Bella realiza seu trabalho em gravura, pintura, objetos, vídeo e outros suportes. O desenho sempre foi uma base para todo o seu trabalho e muitas vezes assumiu o papel de suporte final de suas criações. No entanto, nunca houve uma exposição que reunisse especificamente esses trabalhos, que estão espalhados por toda a sua obra e abrangem todos os períodos de sua carreira. A exposição reunirá estes trabalhos em lápis, carvão, pastel e nanquim pela primeira vez, em suportes nas paredes, vídeos, cadernos e objetos com suportes de chão e em vitrines, em uma curadoria feita pela própria artista. Algumas obras consideradas “seminais” pela artista   foram inicialmente produzidas em desenho antes de se tornarem gravuras, como o Burocracia (1978) e o América Latina (1977). Ambas possuem grande valor e reconhecimento atual e integrarão a mostra em suas formas originais de concepção.

 

 

← Voltar